pro especies

Projeto GEF Pr√≥-esp√©cies ‚Äď Estrat√©gia Nacional para a conserva√ß√£o de esp√©cies amea√ßadas de extin√ß√£o

O Minist√©rio do Meio Ambiente (MMA) instituiu o Programa Nacional para a Conserva√ß√£o de Esp√©cies Amea√ßadas de Extin√ß√£o - Pr√≥-Esp√©cies por meio da Portaria N¬ļ 43, de 31 de janeiro de 2014 visando cumprir a Meta 12 da Conven√ß√£o sobre Diversidade Biol√≥gica (CDB). A implementa√ß√£o desse Programa √© viabilizada pelo Projeto Estrat√©gia Nacional para a Conserva√ß√£o de Esp√©cies Amea√ßadas de Extin√ß√£o - (GEF Pr√≥-Esp√©cies) Todos contra extin√ß√£o conforme foi publicado na Portaria n¬ļ 444, de 26 de novembro de 2018.

O IMA √© uma das institui√ß√Ķes executoras do Projeto Pr√≥-esp√©cies que objetiva minimizar os impactos sobre as esp√©cies amea√ßadas de extin√ß√£o no Brasil. O enfoque principal do projeto √© na prote√ß√£o de esp√©cies criticamente amea√ßadas que n√£o est√£o em √°reas protegidas e nem s√£o contempladas por Planos de A√ß√£o Nacional (PAN) em execu√ß√£o, chamadas, portanto, de esp√©cies lacuna. A iniciativa tem o FUNBIO como ag√™ncia implementadora, o WWF-Brasil como ag√™ncia executora e conta com doa√ß√£o do Fundo Global para o Meio Ambiente (GEF). A iniciativa tem tr√™s componentes:

- Integração de conservação de espécies ameaçadas em Políticas Setoriais;

- Combate a caça, pesca, extração ilegal de espécies silvestres;

- Alerta e detecção precoce de espécies exóticas invasoras.

Ao todo o GEF Pr√≥-Esp√©cies abrange 13 estados brasileiros (Maranh√£o, Bahia, Par√°, Amazonas, Tocantins, Goi√°s, Santa Catarina, Paran√°, Rio Grande do Sul, Minas Gerais, S√£o Paulo, Rio de Janeiro e Esp√≠rito Santo) e um total de nove milh√Ķes de hectares.

Em Santa Catarina, a região alvo do Componente 1 do projeto compreende parte dos Campos de Altitude e da Floresta Ombrófila Mista do Sudeste do Estado.

Plano de Ação Territorial Planalto Sul

Desde o final de 2018 o IMA trabalha em conjunto com a Secretaria do Meio Ambiente e Infraestrutura do Rio Grande do Sul (SEMA) para o planejamento e implementação do Plano de Ação Territorial (PAT) Planalto Sul. O território do PAT abrange 27 municípios do RS e 12 de SC, conforme mapa.

Limites do território Planalto Sul

limite plat sul

O PAT Planalto Sul foi elaborado em duas oficinas participativas realizadas em fevereiro e junho de 2019. Na primeira oficina (preparat√≥ria) foram definidos aspectos log√≠sticos, mapeados os convidados e definida a metodologia para a oficina de elabora√ß√£o. Durante a oficina de elabora√ß√£o, representantes de diversas institui√ß√Ķes dos setores p√ļblico, privado e de organiza√ß√Ķes da sociedade civil elaboraram a matriz de planejamento a qual compreende seis objetivos espec√≠ficos e 41 a√ß√Ķes. As a√ß√Ķes buscam a redu√ß√£o do risco de extin√ß√£o das 22 esp√©cies focais, que s√£o 14 esp√©cies da flora e cinco esp√©cies da fauna, conforme tabela a seguir:

Lista completa de espécies do Plano de Ação Territorial para a Conservação de Espécies Ameaçadas de Extinção do Planalto Sul/PAT

FAUNA

Espécie

Família Nome popular Classificação
MMA SC RS

Aegla brevipalma 

Bond-Buckup & Santos, 2012

Aeglidae egla CR

Cycloramphus valae

Heyer, 1983

Cycloramphidae r√£zinha-das-pedras DD CR DD

Phyllocaulis renschi 

Thomé, 1965

Veronicellidae lesma EN

Pulsatrix perspicillata 

Latham, 1790

Strigidae murucututu VU EN

Trichomycterus tropeiro

Ferrer & Malabarba, 2011

Trichomycteridae

 

cambeva CR CR
FLORA

Bipinnula gibertii

Rchb.f.

Orchidaceae orquídea CR

Codonorchis canisioi

Mansf.

Orchidaceae orquídea CR CR

Elaphoglossum dutrae

Brade 

Dryopteridaceae N√£o h√° CR

Eryngium falcifolium

Irgang

Apiaceae caraguat√° EN CR

Eryngium ramboanum

Mathias & Constance

Apiaceae caraguat√° CR CR

Eugenia rotundicosta

D. Legrand

Myrtaceae uvaia, batinga CR CR

Hysterionica pinnatisecta

Matzenb. & Sobral

Asteraceae

N√£o h√° CR VU

Isoetes sehnemii

H.P.Fuchs

Isoetaceae N√£o h√° CR

Merostachys caucasiana

Send.

Poaceae bambu CR CR

Parodia rechensis

(Buining) Brandt

Cactaceae tuna CR CR

Pavonia renifolia

Krapov.

Malvaceae

 

roseta VU CR

Petunia reitzii

L.B. Sm. & Downs

Solanaceae

pet√ļnia CR CR

Petunia saxicola

L.B.Sm. & Downs

Solanaceae

pet√ļnia CR

Sisyrinchium flabellatum

Aita & L.Eggers

Iridaceae N√£o h√° CR CR

Smallanthus araucariophilus

Mondin

Asteraceae N√£o h√° CR CR

Tillandsia jonesii

Strehl

Bromeliaceae cravo-do-mato CR CR

Tillandsia winkleri

Strehl

Bromeliaceae cravo-do-mato DD CR

CR - Criticamente em Perigo; DD - Dados Deficientes, EN - Em Perigo; LC - Pouco Preocupante, VU ‚Äď Vulner√°vel

O PAT Planalto Sul conta com um Grupo de Assessoramento T√©cnico ‚Äď GAT, definido durante a Oficina de Planejamento, e que tem como fun√ß√£o acompanhar e monitorar o PAT durante todo o seu ciclo de gest√£o e atuar√° como representante dos participantes da Oficina de Planejamento. Comp√Ķem o GAT:

-Luthiana Carbonell dos Santos - IMA (SC) - Coordenadora;

-Leonardo Marques Urruth - SEMA (RS) - Coordenador Executivo;

-Jan Karel Felix Mahler Junior SEMA (RS);

-Alexandre Krob, do Instituto Curicaca;

-Ricardo Silva Pereira Mello - Universidade Estadual do Rio Grande do Sul-UERGS;

-Alvir Longhi - Centro de Tecnologias Alternativas Populares - CETAP;

-Damiane Maria Boziki - Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade de S√£o Francisco de Paula;

-Natal Jo√£o Magnanti - Centro Vianei;

-Newton Borges da Costa J√ļnior ‚Äď EPAGRI;

-Roseli Lopes da Costa Bortoluzzi - Universidade do Estado de Santa Catarina ‚ÄďUDESC;

-N√™mora Prestes - Associa√ß√£o Amigos do Meio Ambiente ‚Äď AMA;

-Ana Let√≠cia Ara√ļjo de Aquino Bertoglio - Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econ√īmico Sustent√°vel de SC ‚Äď SDE.

A matriz de planejamento completa, o relat√≥rio de progresso (maio/2020) e outros documentos p√ļblicos do projeto podem ser acessados clicando no link https://drive.google.com/open?id=1j6uZPyM2xaaM6if9LVTzsTGDkqnYDihs.