A Reserva Biológia Estadual do Sassafrás (REBES) foi criada em 04 de fevereiro de 1977 pelo Decreto nº 2.221, com uma área de aproximadamente 5.229 hectares, dividida em duas glebas . A menor possui cerca de 1.361 hectares e está localizada na comunidade de Alto São João, no município de Benedito Novo. A gleba maior possui cerca de 3.868 hectares e está localizada na comunidade de Alto Forcação, no município de Doutor Pedrinho.

Por meio do Decreto nº. 4.847 foi anexada à gleba maior da REBES uma área com cerca de 8 hectares, doada pela MODO Battistella Reflorestamento S/A (MOBASA) em setembro de 1994.

O nome da UC faz referência à espécie arbórea (Ocotea odorifera), conhecida popularmente como canela-sassafrás ou simplesmente sassafrás, pertencente à família das Lauráceas. Presente em elevada abundância na região, a canela-sassafrás foi sobre-explorada a partir do início do século XX em função da qualidade da sua madeira para a construção civil e de sua grande capacidade de produção do óleo essencial Safrol, com aplicabilidades diversas para a farmacologia, cosmetologia e medicina, fatores que resultaram na sua inclusão na Lista Oficial de Espécies da Flora Brasileira Ameaçada de Extinção.

Vista Geral Gleba Maior

Vista Geral Gleba Maior

Recursos Hídricos

A Reserva Biológica Estadual do Sassafrás está repleta de nascentes que formam belos vales de característica “encaixada”. Tais nascentes formam cursos d’água que abastecem os principais rios da região e que são importantes tributários do rio Itajaí.

Na imagem, queda d'água na Gleba Menor.

Flora e Vegetação

A região da Reserva Biológica Estadual do Sassafrás encontra-se em uma zona de transição entre a Floresta Ombrófila Densa e a Floresta Ombrófila Mista, o que torna a região rica em biodiversidade. Apresenta diversas espécies ameaçadas como xaxim-bugio (Dicksonia sellowiana), canela-preta (Ocotea catharinensis), imbuia (Ocotea porosa) e a canela-sassafrás (Ocotea odoríiera). Contudo, esta área do conhecimento necessita de mais pesquisas.

Mastofauna

A região da REBES abriga espécies de mamíferos atualmente raras em Santa Catarina, como a anta (Tapirus terrestris) e o queixada (Tayassu pecari). A primeira ocorre apenas em outra UC estadual, de proteção integral, de tamanho significativamente maior que a REBES e ainda com grandes remanescentes florestais, o Parque Estadual da Serra do Tabuleiro. Já em relação ao queixada, chama a atenção a constatação de grandes grupos transitando aparentemente com alta frequência. Destaca-se ainda a provável ocorrência de uma população relativamente alta de veado-mateiro Mazama nana na região da REBES.

A riqueza geral apontada por dados primários, secundários e registros históricos é de 53 espécies pertencentes a 9 ordens, englobando espécies de pequeno médio e grande porte.

Abaixo, imagem de onça-parda - Puma concolor.

Ornitofauna

A diversidade e composição da avifauna da região da REBES são bastante características da zona de transição entre as Florestas Ombrófilas Densa e Mista, com alta riqueza e diversidade, bem como elevado número de espécies com interesse para conservação e ameaçadas de extinção.

A consolidação dos resultados, considerando desde a lista preliminar de Sick et al. (1979) até os últimos estudos, resultou numa lista de 335 espécies para a região abrangida pelas duas glebas da REBES, representando 18% da avifauna brasileira (considerando 1.822 espécies em CBRO, 2008), e aproximadamente 52% da avifauna de ocorrência atualmente conhecida para Santa Catarina.

Abaixo imagens do curiango-do-banhado - Eleothreptus anomalus e do papagaio-do-peito-roxo – Amazona vinacea, respectivamente.

 

Anfíbios

A Reserva demonstra ser uma importante área também para a conservação de anfíbios, com 43 espécies, desponta como a terceira unidade com maior diversidade no estado, apresentando quase 30% da anurofauna conhecida para Santa Catarina.

Rã flautinha - Aplastodiscus albosignatus

Mapa da Reserva

Gestão

Atualmente a gestão está focada na fiscalização, no diálogo com as comunidades do entorno. O Conselho Consultivo foi estabelecido e a nova sede está em processo licitatório. Além disso, estão previstas algumas ações para regularização fundiária.

archive Plano de Maneja da REBIO do Sassafrás. (471.00 MB)

O Instituto

Organização

CODAMS

Prêmios

Biblioteca

Portarias

Publicações Legais

Licitações

Acordos Extrajudiciais

Legislação

Convênios

Intranet

Editais de Chamameno Público

Licenciamento Ambiental

Concursos

Hospitais Públicos

E-Sic - Serviço Eletrônico de Informação ao Cidadão

Portal Corporativo SGP-e

SC PREV

Ecosistema

Balneabilidade

Biodiversidade

Educação Ambiental

Programas

Unidades de Conservação

Pesquisas em UCs

Fiscalização

Informações

TFASC

Denuncie

Municipalização

Autuados p/ Alegações Finais

Aplicação Aérea de Agrotóxicos

Sala de Imprensa

Notícias
Galeria Multimídia